12 de abril de 2014

Desaprender

Eu queria escrever um texto bem bonito sobre as coisas que eu aprendi. Queria contar sobre as pessoas que conheci nos últimos anos e agora fazem parte dos meus sonhos. Queria explicar que quando as pessoas entram nos meus sonhos eu entendo que ‘agora fazem parte’. Queria contar sobre o que a saudade é capaz de fazer. E sobre o poder da distância de redimensionar as coisas. Queria detalhar todos os sabores deliciosos que experimentei. Queria detalhar minhas descobertas. Queria contar sobre todas as muitas viagens que fiz. Queria em especial falar de uma casinha azul que não sai a minha cabeça. Queria falar que aprendi o que é amar uma pessoa. Talvez até tentasse explicar como fiquei ao mesmo tempo muito seletiva e menos exigente. Mas nada do que eu aprendi valeu o que eu desaprendi. Faz algum tempo que tudo gira em torno de desaprender. Tenho desaprendido muito. Não me surpreendi tanto quanto pode parecer. Cresci ao longo dos meus vinte e muitos anos. Tenho experiências, tenho gestos novos. É claro que aprendi muitas coisas. Mas não mais do que desaprendi. Não sei mais tanta coisa. Estou diariamente em um movimento de me esvaziar, de esquecer o ofício para, quem sabe, recomeçar. Ou só para caminhar mais leve mesmo. Tenho hoje a liberdade de adaptar-me. Esqueci, felizmente, a teimosia de não mudar. Caminho aberta para aprender o que vier. E mais aberta ainda para desaprender o que não me faz bem ou não serve mais. Esqueci que para ser forte preciso parecer forte. Eu não preciso e não pareço. Aprender coisas novas pode fazer de mim uma pessoa esperta, mas hoje me ocorre que desaprender, às vezes, faz de mim uma pessoa melhor. 

13 comentários:

Maria Midlej disse...

De vez em quando esbarro num texto desses e percebo o quanto é bom manter o blog rs
Menina, era exatamente sobre esse "desaprender" que conversava ha pouco com um amiga. É que a gente às vezes aprendeu TANTA COISA ERRADA NESSA VIDA, que nao adianta aprender o certo, tem que desaprender o errado.
Esquecer algumas coisinhas que pesam no caminho.

Tenho uma verdadeira admiração pela sua escrita. To perdida aqui no blog há um tempão, comecei lá pelos meses atrás..rsrs

Beijo, bonita!
Sigamos no desconstruir, no desaprender...

aaluah disse...

como escreves! mais, como vês!

aaluah disse...

como escreves! mais, como vês!

Renan Silva disse...

Acho que sei exatamente sobre tudo isso que você queria contar. Atualmente também estou encarando o desapego de todas as coisas que eu carregava como verdades absolutas. Desaprender tem me feito crescer bastante. :D

Olha, o Rabiiisco mudou de endereço... então te convido pra nos visitar: http://rabiiisco.wordpress.com/

Fernanda Brandao disse...

Fernanda Brandão comentando acima. :D

Poetinha Feia disse...

Queria contar sobre o encantamento que me toma quando leio textos como o seu... Sempre um prazer e uma emoção visitar seu blog.
Abraço,
http://www.poetinhafeia.blogspot.com.br/

Branca disse...

Sempre com belos textos!
Estou assim, como você, tentando desaprender muitas coisas que julgava politicamente corretas.
Bom voltar aqui, bjos!

Página solidária disse...

. Olá! Meu nome é Vinicius C. Eu sou dono e escritor no site. www.almadopoeta.com
Pediram-me que ajudasse a divulgar e pedir ajuda para dona Maria. E eu certamente aceitei. Eu a conheço, pois mora relativamente perto da minha casa.
Por favor, não ignore. Existe sim dignidade ao se pedir ajuda e é isso que estamos fazendo. Por favor, visite a página e mesmo que não possa ajudar financeiramente doe seu tempo divulgando a campanha.
Muito obrigado por sua atenção!
Vinicius C/ eu ajudo!!!
Abraços!
Segue o link...
http://solidariedade-maria-maria.blogspot.com.br/

:) disse...

É sempre muito bom passear por aqui!
Belo texto, como de costume.
Belas palavras.
E que sintonia...tenho pensado tanto nisso!

Um beijão

Vida disse...

Saudade de te ler.

@Francisquices disse...

Cadê você? Não pode sumir não. rs

:) disse...

Kd Maria?

aluah disse...

cadê você