24 de julho de 2013

Licença

Faz alguns anos que estou em silêncio, totalmente mergulhada em mim mesma. Não escolhi conscientemente isso, mas resolvi abraçar a solidão como uma oportunidade. Lembro Frida ao perceber que sou o assunto que melhor conheço. Conheço todos os meus sentimentos e por isso me respeito com cuidado e carinho. Faço hoje por mim o que ninguém fez, permito-me a primeira pessoa. 
''Algum tempo atrás, talvez uns dias, eu era uma moça caminhando por um mundo de cores, com formas claras e tangíveis. Tudo era misterioso e havia algo oculto; adivinhar-lhe a natureza era um jogo para mim. Se você soubesse como é terrível obter o conhecimento de repente - como um relâmpago iluminado a Terra! Agora, vivo num planeta dolorido, transparente como gelo. É como se houvesse aprendido tudo de uma vez, numa questão de segundos. Minhas amigas e colegas tornaram-se mulheres lentamente. Eu envelheci em instantes e agora tudo está embotado e plano. Sei que não há nada escondido; se houvesse, eu veria.'' Frida Kahlo

Um comentário:

Alexandre Lucio Fernandes disse...

É sempre tempo de pousar no nosso eu com mais propriedade. Viver se torna mais pleno. Porque ninguém faz por nós o que somos capazes conosco mesmo.

Beijo!