20 de junho de 2012

Sobre ensinar ou aprender


Ela tentou ensiná-lo. Conversou, explicou detalhadamente. Mas ele pareceu não entender. Ela não acreditava que ele não pudesse entender. Ela chamou a atenção, argumentou, fez sinais, encenações, comparações. Tentou convencê-lo a se salvar. Ele não demonstrou preocupação. Ela não aceitava que ele não quisesse ser salvo. Ela gritou, se desesperou, esperneou, chorou, clamou. Ele ignorou. Ela propôs ajudar, ficar ao lado. Ele não aceitou. Ela insistiu, cansou, recuperou as forças, insistiu, insistiu, insistiu. Fez desenhos, mapas, pinturas. Queria que ele conseguisse enxergar o óbvio. Queria que ele aceitasse o óbvio. Queria que ele desejasse o óbvio - ser salvo. Queria que ele quisesse viver. Ele não quis. Ela tentou mais uma vez (era insistente, talvez teimosa). Então fez chantagem, apelou, jogou baixo - queria comovê-lo. Ele não deu atenção. Não importava o quanto ela quisesse, ele não queria. Ela sentiu muito, sofreu, se culpou, se perdoou, aprendeu. Demorou, mas ela aprendeu. Ela aceitou a vontade dele. Ela entendeu que aceitar não é desistir – é aceitar. Ele via desde o princípio, ele entendia, ele sabia. Mas ele não queria. Por fim, ela aprendeu: não se pode ensinar quem não quer aprender. Não se pode salvar quem não quer ser salvo. 

10 comentários:

Desnuda disse...

Maria querida,

Este texto emocionou-me. Já fui protagonista deste texto que você é a autora.

Beijos com carinho amiga.

Alexandre Lucio Fernandes disse...

Por mais que a gente tente, a escolha de querer mudar ou se salvar deve ser da própria pessoa. Só neste momento é que nossa ajuda é de extrema importância. Infelizmente é assim. Não se consegue ajudar quem não quer ser ajudado ou se ajudar.

Belo texto! Reflexivo.

Beijoca!

@Francisquices disse...

É assim, não se pode ajudar alguém que não quer ajuda.

Lindo texto, emocionante.

@Francisquices disse...

Isso mesmo, Maria. Sigur Rós um cd deles, acredito que um das primeiros quando conheci. :)

E obrigado pelo parabéns.

Débora Gomes disse...

Lindo texto Maria!
parece ter sido escrito para os meus últimos dias...

um beijo doce.
teus escritos me confortam.

Iasminne Fortes disse...

Me vi nesse texto em alguns momentos da minha vida. Também já tentei salvar quem não queria ser salvo, lutei com todas as minhas forças e sofri com isso. Optei por me salvar e deu certo.

Beijo!

Ingrid disse...

:*

Fernando Rocha disse...

"Como ajudar alguém que não pede socorro?" escreveu o sábio Moska.
Belo texto!

:) disse...

A via só pode ser de mão dupla...mão única causa traumas irreparáveis...

Bjs querida!

L.C. Junior disse...

E penso eu, essa ser a verdade mas dolorosa que existe, por que por mais que se queira salvar a todos, a salvação é pessoal, cada um decide pela sua...