12 de fevereiro de 2011

Era uma vez

Era uma vez uma menina triste. Um dia, sentada em sua casa, ela chorou a grande tristeza que carregava: a traição, as mentiras e a falsidade. Pensou que adultos podem mesmo, e quase sempre o querem, ser detestáveis. Já com os olhos vermelhos, ela quase sentia dó de si. Achou bonita a frase ‘dó de si’... Fechou os olhos, imaginou as notas, cantarolou a música distante e os ouvidos aguçaram-se para buscar uma canção qualquer. Ela levantou-se e começou a dançar devagarzinho. Um passo, outro, muitos outros... Sozinha na sala e na vida ela dançou e dançou e dançou. Entendeu muitas coisas enquanto dançava sozinha. Percebeu que lágrimas podiam ser passos de dança e dor podia virar música. Então ela sorriu e parou de chorar. A vida era mesmo muito difícil, pensou, mas ela podia dançar!

Fim.

26 comentários:

:) disse...

Ainda bem que ainda podemos dançar!
Bjs queridos!

Luu disse...

Gostei de como ela tirou algo bom até da tristeza. São poucos que conseguem fazer isso. Garota forte.


:*

Alexandre Fernandes disse...

É possível sim fazer da dor uma melodia. E na melodia, fazermos da dor os passos de uma dança. A dança que nos faz levantar, que nos faz crescer e fortalecer.

Uma dança que deixe para trás a dor que uma vez foi. E que deixe a expectativa de um futuro bonito que será.


Beijos Maria!!

Alma Desarmada disse...

Dança, porque a dança é a canção do corpo...

Desnuda disse...

Maria querida!

Fiquei tão feliz em saber mais um pouco de voce! A minha admiração só aumenta! Como gosto de voce! Demais, Maria...Afeto terno, materno, sincero... como é bom encontrar pessoas com as quais sentimos afinidades de imediato e que o tempo consolida, naturalmente , explicando esta empatia.

Esta postagem me remete a ultima postagem do Sam que é Zarité, uma personagem do livro de Isabel Allende; A Ilha Sob o Mar. Uma abordagem sob outra forma mas com uma mensagem clara como o da menininha triste

“O ritmo nasce
de uma ilha sob o mar, sacode a terra,
atravessa-me como um relâmpago e segue
em direção ao céu, levando as
minhas aflições...

Dance, dance, Zarité, porque escravo que dança
é livre...enquanto dança.

Eu sempre dancei.



Beijos com carinho Maria. Felicidades!

Alessandra Jungs de Almeida disse...

Ainda bem que podemos dançar e cantar!
Que texto encantador.

Luana Gabriela disse...

E viva a dor alheia que nos proporciona tão belas músicas e passos de dança!

Maria, fica bem!

Bjos

disse...

E dançar, assim como cantar, tem poderes mágicos. COmo diz o ditado: quem canta seus males espanta, e a dança nada mais é que cantar com os pés! Bjo

Marcelo Mayer disse...

assim como ela também podia sair por ai e pedir uma cerveja ou uma coca em qualquer boteco

mila disse...

Oi flor, se puder dá uma passadinha no meu blog. Tem um comunicado e eu conto com a tua ajuda :3
beijos :*

Lua disse...

Que palavras mais intensas e bonitas.
E dance, dance...!


Beijos querida ;)

Poetinha Feia disse...

Eu bailo na areia enquanto as lágrimas escorrem do meu rosto!

Tão bom ler suas palavras...

Bj

Luna disse...

ah, vou fingir que foi pra mim, posso?

Má Midlej disse...

HAHAHA Achei bonito, e além de dançar ela pode muita coisa, mal sabe.. rs :)

Aliás, que blog lindo é esse ein? rs

breno disse...

Trabalhei a temática sobre a fase adulta no meu último post, mas naumd e forma singela que nem a sua!
SOU SUA!

sonhos, amor e vôos... disse...

...que lindo...! sério me emocionei, na simplicidade do texto, mas na profundeza da descoberta...!

Parabéns...!!!

Com os devidos créditos irei colocar nos recados do orkut e este, no Auto Ajuda{blog)

E vou te seguir...

Beijosss...

Lívia disse...

Olá! Tem selinho pra vc la no pulodepipoca! Acho lindo o seu blog. bjs

http://pulodepipoca.blogspot.com/2011/02/hello-pipocos.html

Karol Gonçalves disse...

Lindo!
Dá vontade de sair saltitando!
Música e dança sempre salvam!

Leila Reis disse...

Sou fã dos seus textos e fou honra ter um comentário seu em um posto meu no blog!

Obrigada!
BEijos

Liz

Coisas nossas disse...

Eu como a de seus textos e que às vezes me servem de inspiração, fiquei tão grata com o seu comentário em nosso blog!
Muito obrigada!

Beijos! =)

Eu, Thiago Assis disse...

podia dançar e contornar assim os obstaculos que a vida impunha :)

Fabricio Carlos disse...

Um menina não pode ser tão triste! Errado...

Ray C. disse...

Que doce!

ovelhanegra disse...

Oi Maria, me encantei pelo seu blog. Os textos são muito lindos. Parabéns!!!
Da uma passeada pelo meu depois.
http:www.ovelhanegrabrasil.blogspot.com
beijoo Carol

Auíri Au disse...

ao som daquela nossa música favorita...
beijos azuis

Emoções disse...

Viajo por mundos imagináveis
Meu olhar busca ver o belo
Caminho sempre em nuvens de algodão
As emoções sempre à flor da pele
Para alguns sou tola
Para outros sou uma louca
Para os sensíveis sou poeta
Sou tola... por acreditar na paz
Sou louca...por querer um mundo
melhor e mais justo
Sou poeta...
Por acreditar
Por sonhar
Por amar sempre!