14 de agosto de 2010

Sim

Nosso amor, contaminado de eternidade. (Fernando Pessoa)

Por que demoraste tanto a voltar, moço? Sem interpretações, as palavras são todas tuas. Se foram elas que te levaram, que sejam elas que te recebam. Isso é mais que um texto. É um clichê, cheio de exageros. Quebro o silêncio de anos, ‘cada coisa tem sua hora e cada hora seu cuidado’. Procuro ainda meios de preencher os espaços deixados por ti. Guardo ainda os segredos que não te contei. Guardo a importância de tua presença e o quanto de falta ela me fez. E embora eu tenha ficado sem saber onde colocar as mãos sem você, no teu retorno não tive dúvidas, meu abraço parecia te esperar a despeito do passado. Tu voltas e traz contigo as emoções todas. Assustei-me. Olhei bem. Quão suave foi reconhecer: finalmente tudo mudou, ainda bem não mudou nada! E tu, mesmo sem consentimento, foste retomando um espaço dentro de mim, com teu amor exagerado e tua disposição tão bonita. O que ficou nos deu ainda um lugar de repouso, de alívio, de porto e de partida. Obrigada pelos confetes em formas gentis de amor. Pelas declarações – silenciosas – de amor. Por todas as cores divertidas do teu verso de amor e pelo carinho que, depois de tanto tempo, derrama-se em delicadas formas. Tua pressa de ser meu me faz crer que eternidade é um dia de cada vez. Quero mais da gente, quero tuas soluções simples, tua certeza sem promessas. Quero o passado no lugar certo, quero um presente sem culpas e sem dor. Repito baixo pelos cantos que te amo, torcendo para que sintas. Anseio mais coincidências, mais respostas, outras formas de amar. Quero paz diante da possibilidade de dar a mão a alguém sem perder a liberdade. Quero até quando tiver de ser. Aproveito teu ombro como travesseiro e tua cumplicidade de companhia. Ofereço o coração como abrigo e as coisas mais simples que um amor amigo pode trazer. Faço rimas de minha saudade. E assim caminho: com você em mim. Isso é mais que um texto. É um clichê, cheio de vontade. E é o meu sim.

35 comentários:

Luana Gabriela disse...

Maria, que belo isso. Que esse sim seja eterno. Como só são aqueles que a gente diz memso sem dizer. Um sim,dito com um amo. Sabe?


Bjos

Luna disse...

teu texto me inspirou algo bonito pra alguém que é lindo pra mim.

:) disse...

Espero que este texto seja reflexo do seu sim, independente para quem ou para o que! SIM, apenas SIM.

Bjs querida

(no meu MSN vc já aparece, mas sempre como off)

Keila

Guilherme Navarro disse...

Muito incisivo, lascivo e impactante.

Parabéns!

Branca disse...

É um sim cheio de expectativas pra que tudo dê certo.
Mãos unidas, mas cada um com sua individualidade, sabendo o limite de cada um e o qto a liberdade é necessária dentro de uma relação.

Tenha um bom domingo e excelente semana. Bjo!

Juliana Biagi disse...

ADORO a maneira como vc escreve. Obrigada pela visita! :)

Brenda Matos disse...

Quero um clichê cheio de saudade, pra mim.

Anônimo disse...

"Há cheiro de saudade, no ar..."

Erica Maria disse...

Saudades de ti, querida!

Lindas palavras!!

Bjos no coração!

Desnuda disse...

Maria!

Que alegria a sua visita! Obrigada, querida. Eu não recebi a atualização do seu blog( todos os blogs que mudaram o layout tive problemas e tive que seguir novamente. Talvez porque não tenha nos meus blogs o gadget dos seguidores...)

O texto é lindo e sensível, como sempre, Maria. Define bem os caminhos do amor quando é realmente amor e quando vale a pena este amor. Gosto de ler sobre o amor porque há quase uma necessidade de trocarmos impressões, reflexões, confirmando e reavaliando pontos comuns . Há um constante aprendizado. Um assunto semelhante para todos, com coincidências maravilhosas e ligeiras diferenças que indicam pontos fundamentais para que cada coração sinta, pense, repense ,se adapte, reformule e sorva desta inesgotável fonte que move a vida e que está sempre em evolução não só pelo próprio sentimento, mas para compreensão do mesmo e de nós mesmos sempre a procura de evolução através de questionamentos. Um aprendizado eterno de um sentimento tão simples que habita as pessoas que são complexas pela própria natureza e que fazem deste sentimento um reflexo e um complexo do que na verdade somos e pensamos. Não há como falar de amor sem clichês e exageros. O tema sempre é um compêndio, um dicionário da alma.

"Quero o passado no lugar certo, quero um presente sem culpas e sem dor/ E assim caminho: com você em mim."

Lindo, Maria. Obrigada.

Carinhoso beijo, querida.

SAM disse...

*Apareceu a atualização no Sam, Sim! Hahahaahah Vi agora....

++++++++++++++ Bjs

Clara disse...

Maria, obrigado pelos parabéns!

"declarações – silenciosas – de amor". e como tem, que saibamos ouvi-las mesmo em silencio e possamos dizer SIM.

lindo texto Maria.
beijjo e linda semana !!

Everson Russo disse...

Belissimo texto,,,belissmo esse sim...que ele seja para sempre...passando pra conhecer seu blog,,,muito lindo,,,beijos de bela semana pra ti.

Marguerita disse...

E como é gostoso um sim com amor, entregando o coração, cuidando outro em troca!

saudades tuas també, querida.

Bjos

E.A disse...

Eita saudade que vc faz.

fernando disse...

Bellíssimo texto, é possivel para o leitor enxergar as cenas desenhadas por ti.

Giovana F. disse...

"Quero até quando tiver de ser."

Talvez seja isso que nos de força e vontade de ser e ter pra sempre!

Simplesmente lindo!
Beijos!

Leni disse...

Meu deus que texto!!! Ameeeeeeei. Todo amor é clichê. Não seria se não fosse amor.

Fernanda. disse...

essa saudade que aperta o peito e dá vontade de gritar...

sempre, sempre, escrevendo coisas que mexem comigo, né?

:*

breno disse...

Lindo, Maria!
....E a saudade, é?

Alexandre Fernandes disse...

Isso é mais que um texto, é a suavidade doce do teu coração, a declaração mais terna que o seu amor é capaz de fazer. Eu li com ansiedade, pousando meus olhos com bastante afeto. E fiquei maravilhado com essa volta, esse cativo amor, que ficou e ali construiu um recanto de coisas boas.

Que lindo!!

Beijos.

Everson Russo disse...

Uma segunda feira cheia de carinho e paz pra ti querida,,,,beijos e otima semana tambem.

serena samy disse...

olá! Como você está?
saudades...
Até!

Karla Pereira disse...

Olá MAria.
Novamente que textomais belo.Parabéns!!!Sempre fala comigo emseus textos....
Acho que estou pegando o jeito...depois dá uma olhadinha lá no meu tá...

Auíri Au disse...

Adoro clichê.
Ainda mais quando a companhia é de filme de cinema.
Rsrsrs
BEijos

Del disse...

Lindo!
Vou ligar pro meu namorado rs

Débora disse...

sinto vontade de ler você todos os dias...

essas doçuras e delicadezas fazem um bem imenso pra alma.

um beijo moça!

Karla disse...

Oi Maria!
Qto tempo não venho aqui, aliás nem no meu blog tb. Que supresa boa acessá-lo e encontrar um comentário seu. Que delícia, vir aqui e perceber que é um hábito que não deveria ter perdido. Seus posts são ótimos para se refletir. Bjos.

Filipe Garcia disse...

Maria,

"eternidade é um dia de cada vez": essa frase fez um efeito bonito, sabe? Nessa parte do texto eu parei, respirei a poesia, entornei meus olhos pro canto do computador e pensei: o amor é isso mesmo; é viver com o pressentimento de que a eternidade é logo ali.

Você continua fazendo bonito. E eu que perdi ao não fazer minhas visitas ao seu blog.

Beijo!

Karla Thayse disse...

Tudo tão lindo por aqui...
Encantada!

Beijo Maria.

M. disse...

Isso é deveras lindo!

R.L. disse...

Viva o clichê
E viva o sim!

E.A disse...

Procuro ainda meios de preencher os espaços deixados por ti. Guardo ainda os segredos que não te contei. Guardo a importância de tua presença e o quanto de falta ela me fez. (e faz).

Carla Dias disse...

Tão lindo ver pessoas assim, cheias de poesia, cheias desse encanto que eu acho lindo. Ainda bem que existe esse mundo blogueiro.

Seu texto me fez suspirar a cada linha, muito belo.

Beijo!

Marília disse...

Ah!!! essas voltas que o mundo dá... gosto tanto...

Esse teu jeito de contar as voltas é tão teu que faz do momento simples raro e de tão raro, eterno, mesmo que dure enquanto dure. O meu beijo saudoso