23 de maio de 2009

.

Todo começo pede um ponto final.

Ponto.

20 de maio de 2009

Sente

Sente aqui, querida. Não há mais nada além para fazer. Agora só te resta se deixar levar sem espernear ou lamentar. Ah, doce querida, não é tão ruim assim! Somos um pouco a vida dos outros também, sempre haveremos de sentir por eles. Coisas boas, ruins, certas ou erradas. Não esqueça que vai passar. Eu, por exemplo, já quis fugir com o circo. Mas não foi possível. Já quis eliminar quem hoje amo. O contrário também. Fiz os dois. Mas ninguém poderá te ensinar o que deverás aprender. É assim. Faz do agora tua escolha. Não é impossível, digo por experiência própria. É possível seres inteira em tudo. Sente por inteiro tua dor, só assim saberás o valor da alegria quando a roda da fortuna te trouxer. Idas e vindas, perdas e ganhos. Alternância com propósitos além do óbvio. E também impossível de explicar. É necessário sentir. Sente aqui, querida. Não há mais nada além para fazer.

9 de maio de 2009

Obrigada

Tive medo dos momentos que pareciam nos privar uma da outra. Senti o teu medo de perder meus dias. Mas o câncer salvou nossas vidas. O tratamento foi por dentro, e a cura foi de dentro. Um abraço e um pedido compartilhado: ‘que a devolva em meus braços da mesma forma que agora a entrego nos Teus’. Não a recebi da forma que entreguei, recebi melhor. E embora tenha havido lágrimas em todos aqueles dias, hoje elas não se controlam em gratidão. Os sonhos permanecem. Mas hoje eles mudaram de tamanho. Queremos então mais um dia, somente um, por vez. Devo então dizer que a alguns meses, a coisa que mais me dá prazer nesta vida é deitar em seu colo e receber qualquer carinho. Desesperei-me quando percebi que podia perder isso. E o pior, perder o que eu não buscava mais. Tinha-se perdido o afago gratuito e sem comemorações. Quem não sabe o que é perder alguém não sabe quanta saudade é capaz de deixar uma vida. Não há tempo amor a perder. No teu dia teu valor é o mesmo, mas farei mais para te mostrar. Obrigada por ficar, para esperar meu futuro, para cuidar de mim. Então isso é o que nós temos: vontade de viver melhor, de um pouco mais de tempo juntas. Quero ainda teus afagos, Mãezinha, tuas repreensões – eu quero todas. Quero melhor cuidar de ti, trocar amor nesta vida a que fomos destinadas a compartilhar. Meu amor por ti, Mãezinha, hoje numa certeza incalculável, num passo certo, num ritmo seguro. Ritmo esse que serenamente ama nos extremos, de quem não tem tempo para perder, porque há uma vida de amor a se doar. Hoje minha gratidão maior é por não ter me deixado aqui, por ter lutado para ficar. Obrigada, Mãezinha, obrigada.