13 de outubro de 2009

Gente grande

Ele tinha medo de virar gente grande. Não admirava gente grande. Eles não choravam na frente dos outros, mesmo que o coração apertasse muito. Não se divertiam com gargalhadas sempre que a graça assim o pedisse. Não admitiam o desejo pelo último pedaço. Não podiam brincar. Não banhavam na chuva, nem deixavam gente pequena banhar. Podem ficar doentes, eles diziam. Mas tristeza também adoece, ele pensava. Ele não compreendia porque ser feliz era um pecado para os grandes. Gente grande precisava alcançar o sucesso. Lê-se: fazer qualquer coisa de que não goste, em todo o tempo que não tem, para ganhar dinheiro, muito dinheiro e mais dinheiro. Para não gastar com bobagens, vale ressaltar, no tempo que não sobrava. Gente grande não tinha tempo para bobagens. Bobagens? Pois sim. Foi até no dicionário e descobriu: bobagem é sinônimo de criancice. Certamente um adulto inventou isso! Assim, pensou: se criança vive criancice (!) ele era todo bobagem. E não interessava virar alguém indiferente a ele mesmo. Mas a vida prega peças e, sim, ele cresceu. Ficou magoado, chorou, quando no espelho, viu uma gente grande que gosta de criancices. Hoje ele se pergunta como é possível ser gente grande e continuar gostando de ser feliz. Enquanto procura a resposta, ele vai fazendo algumas bobagens. Lê-se: ele vai sendo feliz.

33 comentários:

Marília Salles disse...

Lindas palavras para contar a parte triste de ser adulto, perder a parte mais bonita que é ser criança. Se fazer bobagens é criancice... que seja! Mas faz feliz... são essas pequenas coisas que nos completam, que nos fazem ser, felizes! Ser adulto e não perder a parte criança é o tesouro que há em nós, isso é ser livre!

Engraçado, mas sinto em tuas palavras tanta vida, tanto amor e afeto que pareço conhecer-te a muito tempo... desses encontros que a vida proporciona e não se explica, e nem devemos. A escrita nos revela, e saiba que eu e tu, nos fazemos bem com a nossa parte mais verdadeira, aquilo que realmente somos, porque você “sente poesia em tudo”, e vive assim trazendo as tuas palavras doces... tão doces que inexplicavelmente traz um bem, e nos acarinha sem precisar tocar, é o amor mais delicado, é verdadeiro, porque agrada por simplesmente ser, sem querer... simplesmente você é. Pode ter certeza de que por aqui eu fico, vamos continuar brincando de fazer poesia, felicidade, amizade e carinho. Muitas lágrimas de afeto, carinho e vida, vão rolar. Porque depois desse ponto o meu rosto já está lavado em lágrimas, por tamanha felicidade de poder lhe dar o meu carinho. Que fosse uma flor deixada na tua porta e um abraço carinhoso, mas a intensidade das palavras já fazem bastante por nós! Sigamos assim Maria, eu e tu, com a nossa brincadeira de poesia, cativando uma amizade duradoura, com carinho em cada palavra, e assim, seguiremos felizes! Eu, tu e o mundo que nos rodeia. Obrigada Maria!

Beijo carinhoso.

Paulo disse...

Olá, Maria!

Que bom que voce conservou esse espirito, essa delicadeza em descrever a vida, com simplicidade e alegria. Alma menina!

Feliz aMaria, que gosta de ser,
e é amada!

Um abraço carinhoso!

Conversa Inútil de Roderick disse...

Já somos dois! É tão bom fazer bobagem e ser feliz!!!!

João Videira Santos disse...

Interessante...

liza potter disse...

vô Chorar...e vô roubar esse post qualquer dia pra colocar no meu blog.

bjo

serena samy disse...

ihhh...esse foi profundo...Adoro suas postagens.já disse q sou viciada no seu blog, né?!Hehe...a mais pura das verdades.Ah!N posso deixar d agradecer as suas preciosas visitas ao meu blog. prazer imenso te ver por lá... sempre me dando forças... conselhos... qria uma amiga* dessas todos os dias, pra me ouvir e pra ser ouvida...(rs!)sabe...qria conversar com vc d verdade...tomando um café, (fumando um cigarro)e falando da vida.Ah...e q vida!
Vou indo...deixo apenas um abraço n'alma e sorriso q no momento só tenho mostrado em raras situações...mas enfim!

Grã disse...

Resistirei à tentação de postar nova música para tê-la novamente muitas-e-muitas vezes lá comigo. Seria egoismo querer tê-la por lá um montão de vezes? ou talvez egoismo seria não postar a tal música???
O fato é que sua presença me é cara, é aguardada e seus comentários além de alegrar, me inspiram.
Muitíssimo obrigado!

grandegod@gmail.com

Andréa Cavalieri disse...

Menina Maria,
Me deparei algumas vezes com minha filha questionando esse lado Peter Pan que trago em tudo que vivo.
É que tenho em mim o vício de olhar "tudo" com olhares de:

sim,
acredito,
confio,
consigo,
sonho,
posso,
...VAMOS!!!

E com esse olhar rio de mim mesma quando sinto dores e conservo uma menina de tranças que ainda brinca de bem-me-quer.

Lindo texto
Meu beijo

Vinícius Remer disse...

é, eu não queria me tornar gente grande, mas carrego muito da minha meninice, e não abro mão dela, nunca!
;**

Lorita disse...

MARAVILHOSO!
;)

Adorei a parte:
"Mas tristeza também adoece, ele pensava."

Concordo...


Bjao

Roberta Blá disse...

Fiz Teatro por muito tempo em minha vida, quando me vestia de Clau e ia visitar o asilo eu percebia que os velhinhos não tem mais vergonha de demonstrar o que sentem. O ser humano é muito complexo ele espera estar próximo do fim para sorrir com verdade,chorar sem vergonha e amar sem medo de não ser correspondido. Pra mim velhinhos e crianças são as fases mais puras de nós.

Amo tudo aqui, meus olhos sorriem com as suas palavras.
beeeijos flor

fernando disse...

Quando fiz 22 anos, compus uma canção chamda "Bem vindo à idade adulta", o refrão dz: "Bem vindo à idade adulta/ Onde há responsa e solidão/ Onde há capricho e má conduta/E vem a baixo o mundo de ilusão."
quando li o seu texto lembrei do sentimento que possuia há seis anos, e de certa forma ainda me possui, parece que ser adulto é se deixar embrutecer, tento resistir, mas ainda falho em diversas batalhas desta guerra cotidiano, entre o que acredito e o que posso fazer.
Mais um excelente texto escrito por ti, o qual se comunica diretamente com as almas de seus leitores.

Erica Ferro disse...

"Enquanto procura a resposta, ele vai fazendo algumas bobagens. Lê-se: ele vai sendo feliz."

Que perfeição de texto, Maria!
Muito bom, me fez tão bem ler essas lindas palavras.

Ah, eu não pude deixar te seguir.
Estou te seguindo a partir de agora.

E eu... ah, eu não quero deixar nunca de fazer bobagens...

Grande abraço.

Lua disse...

O mundo nao pode ser so seriedade, precisamos ser crianças de vez em quando porque elas sabem sorrir do pouco e serem felizes como ninguem.

Obrigada pelas palavras no meu blog, adorei viu?! to seguindo e linkando tambem.
Boa sexta-feira, beijoos!
e volte sempre.

Lennise disse...

...LINDOOOOO!!! ♥

Olga Prazeres disse...

Eu que agradeço por encontrar algo tão lindo, poético e aconchegante! Parabéns pela forma que te expressas, me identifiquei bastante!
Nossa, quanto as últimas postagens não sei o que houve, ninguém ta conseguindo comentar.Tentarei solucionar nas configurações! Apareça sempre e nunca deixe de escrever!

Erica Maria disse...

Adoro o que escreves querida.

Tem um selo pra ti no meu blog Intimo e Poético tá?

Bjos em seu coração♥

Maryama* disse...

Meus olhos se encheram de vida o ler seu texto.
Tem um selo pra você no meu blog, espero que goste ;*

Bê Matos disse...

Sempre gostei da Terra do Nunca, onde as crianças nunca cresciam. Lá elas não precisam se preocupar com as responsabilidades absurdas dos adultos.

No meu caso, é só estar rodeada das pessoas que amo e.. PIMBA! :)

Beijo, Maria-Bonita. :*

Luana Gabriela disse...

Maria... o texto todo é do Caio..mas especialmente sobre a parte em itálico..é dele pq eu não consigo ser tão suscinta!! hehehe

Muito bom ter você lá pelo meu espaço.. venho sempre aqui tb! É tudo muito lindo!

Bjosss

Desnuda disse...

Maria, sempre perfeito o seu olhar percuciente no mais humano e puro de todos nós.


Escrevi e dei uma pausa...Acontece (quase sempre) algo interessante quando leio os teus textos... Buscas [re]descobertas e vou avançando os limites dos textos até cair dentro de mim e liberto até o reverso analisando caminhos condutores diversos . Enfim, prossigo...


Abraço amoroso, querida. E muitos beijos

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Maria,

Quando viramos gente grande, esquecemos que a criança que habita em nós precisa aprender mais hábitos amorosos e necessários.

Espero não perder contato, viu?

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-

Olga disse...

adorei :3 e o nome do seu blog é demais rs.

http://velhocuringa.blogspot.com
obs: comece a ler do primeiro post.

Luh* disse...

tenho medo de ser gente grande! =/
beijos

Paulo disse...

Olá, Maria!

Sabe, também tive um avô "Antonio".

E uma amiga que conheci, com a alma e aura azuis!

Com eles aprendi um pouquinho sobre as coisas do coração.

Quem conhece Maria a aMaria!

Erica Ferro disse...

Own, Maria...
Eu que fico feliz por ler coisas tão lindas. =D

Espero, ansiosa, por uma nova atualização aqui no seu blog.
Fico feliz que tenha gostado das minhas palavras.

Beijo.

crer---ser disse...

Oi minha querida linDINHA!!!
eu ainda sou uma criança que cresceu um pouquinho,mas que nunca deixou de rir, de chorar e me divertir.De SER FELIZ...

saudade sua.
bj.
Marta.

Qualquer Um disse...

Cara Maria-de-Rara-Poesia,

Lúdico e perfumado texto, como sempre. Como raramente se lê.
Talvez demore muito tempo para se ter coragem de ser criança.
Um ab
Edu

Fabricio Carlos disse...

e no fim tudo passa pela simplicidade...

belo post!!

bjs...

Tatiane Trajano disse...

Ser gente grande é esquecer os sorrisos? É pular de alegria por conseguir algo tão desejado? É deixar de fazer "bobagens"?

Se for assim, prefiro ser criança.. E feliz!

;)

Beijos

Grã disse...

"Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que vira".

É sim, a calmaria precede algo que ainda não sabemos o que é... mas, via de regra, vemos seus sinais!

"Tu vens, tu vens...
eu já escuto teus sinais!"

Obrigado Maria.

Lucas Lima disse...

quero é ser criança pra sempre, rsrs...
Complicado afirmar isso, mas realmente vamos morrendo um pouco a cada dia, com a idade vamos endurecendo, embrutecendo...
bons dias

Tahis Cristine disse...

Texto soh perfeitooooo...
vc e esse seu dom de transformar sentimentos em palavras...
muuuuuuito lindo msm...