29 de agosto de 2009

Cajueiro

Meu velho, foi um ano difícil. Difícil de saudade. Lembro ainda com a exatidão do momento, nosso último abraço e o cheiro da tua cabeça branca. Ah, meu velho, foi neste ano inteiro o cheiro que mais desejei sentir. Ainda te vejo entrando no quintal ou chegando da feira com a cesta cheia de milho, pirulitos e amor, tudo de graça. Lembro da tua alegria com as frutas que nasciam no teu quintal e teu sorriso sorrateiro, de quem, teimoso, usava o açúcar escondido. Das suas discussões sem fim com ela, que tinham virado gracejo já no fim. A gente dizia e foi provado, era só amor que ela tinha por ti. Fizeste falta. Todos os dias. Levaste a parte de nós que nos unia. Talvez não soubesses, era o nosso único elo. O que temos em comum acordo hoje é tua saudade, nada mais. A tua e a dela, que partiu um pouco depois para aliviar o que nenhum remédio faz ainda pela dor da ausência. Teu nome continua trazendo risos aos nossos lábios, mas agora acompanha sempre olhos lacrimosos. Tenho vivido o amor em silêncio, como disse que o faria. Estou cumprindo minha promessa ao amor que tantas vezes me abraçou. É verdade, e o senhor sabia, onde há ato, não se precisa de palavra. Espero que eles um dia compreendam tua lição, e substituam mágoas por gratidão, por respeito ao amor que sempre nos deste, a despeito de qualquer diferença. Queria hoje sentar na calçada contigo, escutar teus causos, te ver sorrir. Queria pedir a tua benção, pegar na tua mão, sentir os teus dedos, ouvir tua voz, ‘vá com Deus, fia’. Teu amor é o que está presente nas melhores lembranças. Na gratidão eterna por ser teu sangue e na certeza de tê-lo amado muito e, milagrosamente, ser plenamente correspondida. Faz um ano, nosso abraço está guardado. Sinto, meu velho, não tarda muito o dia de entregar-te.

22 comentários:

Anônimo disse...

"Levaste a parte de nós que nos unia."
Pura verdade.

Branca disse...

Lindo texto, palavras sentidas, repletas de saudade e amor...lindo mesmo.

Têm pessoas que acrescentam tto à nossa vida que mesmo na ausência permanecem 'presentes' - vc teve a felicidade de conviver com alguém assim.

Bom fds...bjo.

Erica Maria disse...

Saudades de ti :)

Lindo texto ..

Bjos.

Sidney Andrade disse...

Feliz pela lembrança boa que permanece, a despeito da ida. Belas recordações, Maria.
Gramde beijo.

Lennise disse...

Eldinha,esse texto tah perfeito! Eh exatamente o q cada um de nós tah sentindo agora... ♥

Jônatas Santos disse...

Sublime ver sentimentos. Sentimentos de que trás um passado que vale a pena a ser lembrado. Forte e sensível. E mais do que saudades, fica o amor. Este, jamais morrerá.

Qualquer Um disse...

Cara Maria,

"Teu amor é o que está presente nas melhores lembranças"
O amor talvez seja isto, uma memória que se se recusa a viver no passado e povoa o cotidiano.
Lindo, doce texto
1ab
edu

Tahis Cristine disse...

Menina linda!!! Vc tem em suas palavras o dom de transportar sentimentos... me emociono sempre que as leio...
bjux!!! =D

aaluah disse...

a beleza na tristeza... o texto ficou lindo, pude sentir-me contigo - e nem te conheço.

fernando disse...

Ainda bem que em poruguês temos uma palavra que pode aproximar o sentimento do texto com o sentimento humano de ausência de alguém querido:saudade.
Lirico e emocionanate o seu texto

Sweet disse...

chorei.

=~~

«Line» disse...

emocionei-ne ao ler, ficam as saudades e as lições pra vida toda e tb a esperança!

p.s.: tomei a liberdade de lhe repassar um meme, espero que não se importe.

Bjm

Desnuda disse...

Lindo texto...Do seu jeitinho! Expressão do coração que sente as memórias vivas e que reflete no nosso coração, Maria.


Enorme abraço e carinhoso beijo.

Izabela Fardim disse...

A saudades permanece, mas com elas os bons momentos. Lindo texto, querida.

Beijo!

jadeamorim.com disse...

Ahh, que lindo. Realmente a dor da saudade é a pior de todas!
Sinto muito!

Beeijos!

Mãe da Gi disse...

Só agora vi...arrasada! Tá lindo Dinha. Escândalo mesmo! Disse tudo e mais um pouco! Xero da Gi tb. Vem pra cá no feriadão! O desfile vai ser na porta de casa. Coisa de gente chique. Bjo

Sabrina Davanzo disse...

Ai, ui, Maria! snif.... :(

Lindo, viu?

Beijos,

Sabrina

Priscila Rôde disse...

(Arrepios)
Senti muito esse texto agora..
"Teu nome continua trazendo risos aos nossos lábios, mas agora acompanha sempre olhos lacrimosos.."
Muitas lembranças me vieram à mente agora..
Simplesmente, lindo!

Nanda disse...

lindo. e triste. como tudo que é amor.

tempos atrás falei sobre amor em meu blog. era amor de pai. e doeu para parir aquele texto. como dói o que é amor.. mas no fim, é lindo, como tudo o que é lembrança.

Sandra Leite disse...

Deu saudade da história. Seu texto é convidativo, uma prosa gostosa de sussurrar. É precioso demais para gritar. Maria, sabe você que amo a música, mas é no silêncio que minha mais preciosa palavra é dita. Em silêncio, às vezes um aplauso em forma de lágrima.

Mas agora, fica o abraço.

Beijos


PS: ando sumida da blogosfera. ando sem saber muito o que fazer. seja o que for, voltarei:)

disse...

De um dos meus olhos escorre uma lágrima, não sei de pela doçura do texto ou pela saudade que também me aflora de alguém que já foi embora, mas que deixou muita coisa para nós e que por coincidência tbm deixou em comum eu e mais um.
Estou apaixonada em como escreve.
Se for visitar meu Inspire-se, na busca procure: A flor do meu jardim... é sobre o mesmo tema

Bj parabéns novamente

Alicinhacardoso disse...

Nossa, que texto...sem palavras...saudades sem fim...