6 de julho de 2009

Era

O que seria um bom dia cheio de cores, sabores e texturas, soa como um gesto de educação, que é dispensável quando causa mais dor que encanto. Era correr para o abraço, se jogar nas emoções e não ter limites para a entrega. Sem o menor sinal disto, transforma-se num aperto de mãos, tão inútil quanto álgido. Era a alegria, que levava letras e risos em cada declaração. Restou o silêncio, que nem sabia existir. Era o indisfarçável. Vira o sem luz. Era o palpitar do coração, que se transforma na distância incalculável de alguns passos. Era o eterno que – não se sabia – pode ter um fim.

14 comentários:

Andréa Cavalieri disse...

Esse silencio que restou onde nunca existiu traz todas as respostas.
Daquilo que não foi dito,
Da distancia dos passos,
Da ausencia de luz,
Do sobresalto do coração...

...só até outro facho de luz entrar.
Agora então, abre ao menos uma fresta da janela!

Adoro estar aqui.
beijos, linda Maria!

Mayana Carvalho disse...

"pode ter um fim."
Tem perfeito, tão veradeiro e poético.

Beijos

Aninha disse...

Caraca!
Adorei! mto lindo... vc escreve superrrr bem!!!

bjinhos*/~

Erica Maria disse...

Tuas palavras me causam um encantamento pleno e indizível querida...gosto mto!

Lindo texto!

Bjos em teu coração viu :)

Conversa Inútil de Roderick disse...

É a desilusão!

Poetinha Feia disse...

Encantada cada vez mais com sua poesia!
Coloquei um link de lá do blog p/ cá... bjo!

Sus-pensa disse...

Sempre há, ante a todo fim, a possibilidade de um novo começo.

Aliás, hoje, dia 7/7, é o meu novo começo... 25 anos. Como acho que você gostaria de saber disso, tá aí a informação, irmã querida!

Beijo imenso!

Amora disse...

Ach que não há maior silêncio do que aquele que nem sabe que existe.

Achei lindo, mais uma vez.

Um beijo!

Luana Gabriela disse...

tudo tem um fim... tudo passa...até os silêncios, os dias coloridos, mas também têm fim os dias cinzas ... mas o fim futuro não deve nos impedir de começar!

Bjso Maria!

fernando disse...

Gostei da sinestesia do inicio do texto, honestamente, não me canso de me surpreeender com a sua capacidade de ser suscinta e ao mesmo tempo profunda, em mtemas que para muitos exige uma ação prolixa.

Amora disse...

Posta mais! rs

Sabrina Davanzo disse...

Meu eterno virou fim no mês passado. Confesso que dói.

Beijos, Maria!
seus textos são doces e profundos. Adoro!

Egon Henrique disse...

Um eterno que pode ter um FIM, muito bacana.

obrigado por seu comentário...

Bjs moça

SAM disse...

Maria, querida Maria!


Mais que compreender eu SENTI...



Grande beijo