1 de junho de 2009

O meu silêncio

O meu silêncio é pura perplexidade. Porque enquanto eu estava deitada, embrulhada, dormindo no aconchego do meu lar, os dois meninos estavam perdidos na mata por três dias. Enquanto eu pensava se devia perdoar ou não, a mãe não conseguiu segurar a filha e a soltou para a morte. Penso em outra Maria, a que perdeu em minutos, a mãe, as filhas, a casa, a lavoura. A que perdeu toda sua vida. Meu silêncio encontra-se nos abraços de chegada que não aconteceram e sabem-se lá onde eles foram parar no infinito do oceano. Porque a esperança vai diminuindo a cada hora que passa de que um milagre tenha acontecido e eles possam estar à espera de um resgate com vida. Meu silêncio é falta de saber, é dor e impotência. Meu silêncio agora é simplesmente não saber o que dizer.

9 comentários:

Erica Maria disse...

Ah, querida menina estava com saudades!!

O silêncio sempre nos diz algo!

Lindo texto!!

Bjos nesse coração!

paulo disse...

... silencio junto a ti, que traz no nome a força da vida: beleza de tantas marias. silencio assim, numa prece serena de canção de fazer bem, que ajuda as demoradas horas de cada dia deitar sobre colchão calmo do tempo e adormecer.


beijos meus, adimiro-te!


paulo

fernando disse...

A última frase do texto me trouxe um novo e belo sentido para a palavra silêncio.
Sempre penso que não há felicidade verdadeira, porque se um humano sofre a felicidade não pode ser geral.

Taiguara Rangel disse...

Ah, Maria. Sou leitor assiduo e silencioso.
;)

Desnuda disse...

Teu silêncio é acompanhado pelos nossos, querida Maria....


Meu carinhoso abraço

Diii disse...

Ah.. queria que seu silêncio tivesse um pouco mais de alegria. Ou de esperança.

Adoro-te!

Bjim!

Sabrina MCosta disse...

não responder, também
é uma longa, densa e intensa
resposta
:*

Liza Mariana disse...

lindo...suas palavras são sempre perfeitas...te amo...

Bibian! disse...

O silêncio é muito mais interessante e profundo de palavras.
Quando ficamos em silêncio, quem fala é o nosso coração, nossa alma, não nossa bendita boca que diz besteiras, verdades e mentiras a rodo por todo o tempo.
O silêncio é divino. O silêncio é sentir.
Lindo blog!
beijoss