7 de maio de 2009

O anjo mais velho

Enquanto houver você do outro lado, aqui do outro eu consigo me orientar. A cena repete, a cena se inverte, enchendo a minh'alma d'aquilo que outrora eu deixei de acreditar. Tua palavra, tua história, tua verdade fazendo escola e a tua ausência fazendo silêncio em todo lugar. Metade de mim agora é assim. De um lado a poesia, o verbo, a saudade. Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim. E o fim é belo, incerto. Depende de como você vê o novo, o credo, a fé que você deposita em você e só. Só enquanto eu respirar, vou me lembrar de você. Só enquanto eu respirar.

O Teatro Mágico


5 comentários:

Sedokao Morutaru disse...

Que belas palavras. Viajei no fundo da alma.

Susanna disse...

Essas palavrinhas me fazem tanto bem, irmã.... Vc nem sabe!

fernando disse...

O que achei mais legal deste texto é que este transmite a ideia de amor, como algo que se dá neste plano, contrapondo ideia romântica de sofrer de amor, por este não ser possível no aqui e agora.

Neotenia disse...

Adooooooooro O Teatro Mágico

Jânio Dias disse...

Gosto mais da idéia que invade o além.

Então... sem desrespeito a obra do Anitelli:

Enquanto eu respirar e depois também, irei lembrar de você.

Beijo.