16 de abril de 2009

Persuasão

Eles não conversavam um com o outro, não tinham qualquer contato exceto o que era ditado pelas normas da boa educação. Outrora, tinham significado tanto um para o outro! Agora, nada! Não podia ter havido dois corações tão sinceros, nem gostos tão semelhantes, nem sentimentos tão em uníssono, ou rostos tão amados. Agora era como se fossem estranhos, não, pior do que estranhos, porque jamais se conheceriam. Seriam estranhos para sempre.

Jane Austen in Persusão

9 comentários:

Lady from the city disse...

não gosto dessa sensação...
sensação de esquecimento, de vazio, de não existência... =S
bjos

Valdemir Reis disse...

Olá Maria estou pousando neste maravilhoso espaço, que beleza de trabalho. Cada vez melhor! Parabéns pela publicação do tema "Persuasão", belissimo, com certeza uma grande contribuição, excelente. Muito bom estar aqui, quero convidar você para uma homenagem, com todo brilho e requinte, passa lá em; http://www.valdemireis.blogspot.com ou em; http://www.valdemircantinhopaz.blogspot.com, vamos brindar juntos, temos postado um texto especial desenvolvido para você, quero na oportunidade entregar seu merecido “ PRÊMIO” , você conquistou, sim leve o seu e seja generoso distribuindo com seus os amigos. Vamos estender a festa... Hoje a festa é sua, venha já! Estou esperando você. Por isso considero a vida uma oportunidade impar. Cada pessoa que passa em nossa vida não passa sozinha, por ser única, deixa um pedaço de si e leva um pedaço de nós. Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Muito Obrigadoooooooo... Por sua simpatia e amizade!!! Também quero desejar uma feliz e abençoada semana para toda família. Muitas bênçãos, brilhe sempre, sucesso, prosperidade, proteção e paz. Fique com Deus.
Volte sempre!
Valdemir Reis

Erica Maria disse...

Sabe isso é muito triste, eu já passei por isso...

Nossa, não desejo pra ninguém!

Bela escolha!

Bjos em teu coração!

guilhermina, (ataulfo) e convidados disse...

O que pode ser mais duro, mais doído, mais insano?

beijo triste,
Guilhermina

Princesa disse...

Infelizmente é assim que acabam muitas vezes os grandes amores!!!

Beijo e bom fim-de-semana

Susanna disse...

Tenho meus estranhos assim, como estes descritos no trecho que você selecionou, Maria... Sou acostumada a fantasmas, que já nem os sinto mais - nem os estranhos, tampouco os fantasmas.

Beijos!
olhodomeuolho

fernando disse...

Há intimidade entre estranhos, mas é algo doloroso, principalmete quando existe a impressão de que se conhece aquele que mais tarde será caracterizado como estranho.

The Scientist disse...

é isso que hoje me intriga: será que não pode ser diferente?
será esse o "depois"?
"As coisas do coração são como são ou a gente pode mudar?"(vanessa)

Desnuda disse...

Acontece tanto... É uma grande e frustrante realidade, por vezes nem observada, somente sentida. Um belo e sentido texto que leva a reflexão desta triste situação.


Carinhoso beijo