20 de abril de 2009

Esperem

Qualquer dia desses, ao sair do sol em sua beleza insuperável, não estarei mais aqui. Preciso sair deste lugar onde me encontro. Por vezes sinto vacilar as pernas no real, tanto quanto no pesadelo desta noite. Já não suporto a ausência de sustos diante das perfídias desta vida. Preciso resgatar aquela indignação típica de corações imaculados. Ah, eu não sei jogar. Os joguinhos a que somos obrigados a jogar não me atraem, e quando me obrigo, eu perco sempre. E não é ruim perder sempre, mas não saber jogar nunca. Não sei se vou buscar aprender a jogar ou a não me obrigar a isso em hipótese alguma. Prometo que na primeira oportunidade que tiver mando um recado por um pombo, um sinal de fumaça, ou um telegrama. Sentirei falta de tudo que fizemos e, principalmente, do que não fizemos. Não sei para onde vou. Na verdade, não tenho destino, nem opções. Mas eu quero sair daqui. Se perguntasse ao gato, a resposta seria aquela certeira: Então, pouco importa o caminho que você tome. E ele tem razão, sabemos. Então sem saber o que quero, embora saiba que quero muito, vou buscar por saber o que não quero. Preciso ir para não perder-me. Para não perder-me de mim mesma. Voltarei quando o riso estiver sem pecados e os pecados sem culpas. Contradição? A própria. Na volta vou bater palmas na porta e correr ao abraço que já está ensaiado. E quando eu for, esperem minha volta, em qualquer tarde branca, em qualquer dia escolhido para nós.

18 comentários:

Afobório. disse...

bah, nem sei o que dizer, mas concordo com o que escreveu.

belo, muito belo.


sorte e luz.

Rosmari M.C. disse...

Maria

Suas palavras são sinais de que estamos sempre à procura de um novo caminho. Inquietações, indagações, procuras, contradições. Não tem como ser perder nesse caminho, pois te darão o norte de como chegar à sua essência.
Continue seu e agora? e terá sempre a resposta .
Um abraço

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

O Néctar da Flor mais uma vez homenageia os amigos queridos com mais um selo, onde a magia acontece, seja ela qual for.
Não existem regras, apenas repasse com carinho para aqueles que fazem a mágica da escrita criar vida.



Beijos jogados no ar, sempre!

-

Erica Maria disse...

Ah, também me sinto assim as vezes!

Lindo texto!

Bjos!

paulo disse...

... espaço bom esse de cá, fez-me lembrar de alguns adormecidos mundos cá dentro.

obrigado!

abraços...



paulo

Sidney Andrade disse...

Ah, Maria...
Não me peça - justo a mim! - para esperar.
Queria te dar um comentario alegre a esse respeito, mas tenho estado exausto dessa busca que te (nos) fez (faz) resoluta(os), desesperada e quase débil como dita pelo Caio logo abaixo.
O que tenho feito sobre o assunto: sento, apoio o rosto nas mãos e sinto os cotovelos secos. Não é pose de quem espera, mas de quem já desesperou, infelizmente.
Mas como eu queria mesmo um comentário bonito e este já se tornou absolutamente o oposto, apenas te (nos) desejo paciência ( o que pode vir a ser imensamente mais insuportavel), e me calo.
Beijo.

guilhermina, (ataulfo) e convidados disse...

"preciso resgatar aquela indignação..."

é isso! não o que vc precisa, moça maria, maria bonita, bonita inquieta. é disso o que precisamos no mundo... assim mesmo: sem saber o caminho, mas certo de que este não haverá de ser.

assim, repara, vem nos reunindo por aqui, um e outro e mais aquele que chega. o próximo passo é (re)aprendermos a dar as mãos...
bj
guilhermina

Roderick disse...

Okay, estou esperando! E agora, Maria?

Leo Mandoki, Jr. disse...

..não acha isso meio injusto para alguém acabado de aqui chegar como eu..."qualquer dia desses, ao sair o sol em sua beleza insuperável" eu adoraria que vc estivesse aqui. Talvez vc esteja atravessando uma fase daquelas horriveis (mas normalíssimas nas nossas vidas)..e te digo..que pelo menos tem um lado bom nisso: te faz escrever bem, escolhendo bem as palavras né? É um excelente exercício de auto-análise a escrita.
beijos
(some não)

fernando disse...

Pelos últimos posts, ouso a arriscar que você está passando por u momento de questionamento romântico, espero que com a resposta venha um par que lhe mereça.

Sedokao Morutaru disse...

Não jogar o jogo da vida. Alguém poderia me ensinar?!

Qualquer Um disse...

Cara Maria,


Parece que estamos escutando por detrás da porta. Texto que fala de perto.
Ainda tenho a esperança de que o riso vence o pecado.
ab
Edu

Luciana Andrade disse...

Também me sinto assim às vezes...
Como se não restasse outra opção a não ser jogar....
Um dia a gente aprende..:)

Diego disse...

Bem vinda á legião dos corações revolucionários.

Jânio Dias disse...

Às vezes é mesmo preciso partir; ficar supõe não saber que é preciso ir.

Ir é buscar. Buscar supõe querer. Querer é parte do mudar. Mudar traz o novo. O novo é sempre parte do desconhecido. O desconhecido leva a aprender. Aprender é descobrir. Descobrir é ir.

Logo, é preciso não ficar; dar voltas em círculos também é viver.

Beijo,

Jânio

.: Juliana :. disse...

Seus textos sempre nos fazendo refletir :)

E momentos mulherzinhas, é ótimo. Deveríamos fazer isso mais vezes.

VC que é linda.

Um abraço apertado.

.: Juliana :. disse...

Correção: é ótimo NÃO, e sim: SÃO ÓTIMOS.

Désir La Vie disse...

Ficar com culpa não vale a pena. É se machucar a cada dia, e claro, deixar de ser você mesma.
Vá, somente. O rumo as pernas alcançam.

Beijos!