13 de abril de 2009

Ao desconhecido

Nem sei se ainda estás por aqui. Mas teu pedido me pareceu tão pertinente, que intrigou: “Por favor, me diga quem é você! Me escreva e me conte o que tem vivido e amado!”. Não deixaste teu endereço, teu rastro ou qualquer outra forma de chegar a ti. Pois bem, te falo o possível, e daí começo a me apresentar: você, nem ninguém, jamais saberá mais que bem pouco de mim. Sou tão exclusiva, desconhecido. Queres notícias de minha vida? Mas o que desejas saber de uma desconhecida, por onde começar? O simples desta vida é que me atrai, a inteligência para mim é afrodisíaco e o carinho é o que há de mais lindo. Ando devagar e falo baixo. Tenho cabelos e sorrisos longos. Vivo em constante outono, e tenho estrelas até dentro do meu quarto. Desconhecido, eu habito no silêncio. Vivo poesia. E gosto muito de prosear. Se quiseres me reconhecer ao passares por mim esteja atento aos olhos, somente a eles. Os meus vão te pedir muito e deixar após passar, um aroma de lua, alguma coisa assim. No mais, eu tenho vivido minha descoberta. Claro e escuro, palavras e silêncios, entrega e cautela. Não que eu seja contraditória, mas eu sou imensa, descobri por esses dias. Tenho vivido o que a vida me dá de bom ou ruim, tenho vivido tudo que plantei e tenho plantado muito, desconhecido. Quanto a amar, é outra história. Desconhecido, eu amo demais. Fico exausta de amar. E na maior parte das vezes eu amo sozinha. E que importa, não é mesmo? Já me disseram que não preciso ser correspondida por ser ‘toda amor’. Foi bondade de quem disse, mas consolou meu coração. Só gosto de coisas raras. E amar mesmo, só tenho amado pessoas. Não consigo amar pipoca ou livros. Deles eu gosto muito, mas amar mesmo só pessoas. Dizem que eu sinto demais, e é verdade. Mas isso você só entenderia se pudesse sentir. Outra coisa, eu gosto de flor. E eu acho que amar exige maestria mesmo. Isso é o que tenho vivido e amado, desconhecido. Atenciosamente, a Maria.

25 comentários:

Erica Maria disse...

Feliz desse desconhecido que arrancou confissões lindas de dentro de tua alma, que tb é linda!

Bjos em teu coração!


Me manda seu e-mail?

Vc tem orkut?

guilhermina, (ataulfo) e convidados disse...

Sou tão parecida e tão diferente
que só tenho a oferecer
o possível ponto de contato.
Bj
guilhermina

Susanna disse...

Ah irmã, olho do meu olho... Que ele (a) te leia!

E se enterneça da tua presença.

Meu beijo!

Luciana Andrade disse...

Também amo o desconhcido e suas mil possibilidades...
Ótima semaninha pra você!

Lua disse...

Acho que tu Maria exige águas tão profundas quanto eu!

Adorei aqui!

Roberta Fauth disse...

Menina, que coisa!
Parece que pensamos nos desconhecidos com muita frequencia, nós duas...rsss
Ocorre que pintei uma carta ao Amante. Não que eu o conheça, mas uma carta ao amante (desconhecido, talvez). E venho até sua tela apreciar as tuas pinturas e encontro um quadro destinado ao desconhecido!
Muito legal...
Mais uma vez, desculpe a redundância, me identifico profundamente com o que tu escreve, como escreve.
Um beijo!

Claudete disse...

Ai ai MAria...
Só vc mesmo pra escrever isso:
"Quanto a amar, é outra história. Desconhecido, eu amo demais. Fico exausta de amar. E na maior parte das vezes eu amo sozinha. E que importa, não é mesmo? Já me disseram que não preciso ser correspondida por ser ‘toda amor’. "
E que desconhecido de sorte pra te fazer escrever tão profundo sobre vc e que as vezes revela outras pessoas...
Beijo
Clau

Pati disse...

Que palavras mais maravilhosas! Sorte mesmo deste desconhecido, ou melhor, que iluminação te deu este desconhecido, para despertar em vc palavras tão lindas!
Sério mesmo, vc já pensou em publicar um livro?
bjs

Liginha Gabriela disse...

Que post PERFEITO Mariaaa...estou encantada com as palavras;

'Só gosto de coisas raras. E amar mesmo, só tenho amado pessoas. Não consigo amar pipoca ou livros. Deles eu gosto muito, mas amar mesmo só pessoas. Dizem que eu sinto demais, e é verdade. Mas isso você só entenderia se pudesse sentir. Outra coisa, eu gosto de flor. E eu acho que amar exige maestria mesmo. Isso é o que tenho vivido e amado, desconhecido. '


Parabénss, te admiro bastante!

um grande abraço bem apertado ^^

Mayana Carvalho disse...

Tãoo lindo...
me indentifiquei muito com o texto. De um nivel poetico maravilhoso ;D

Amei ♥
Beijos

Diego disse...

"a inteligência para mim é afrodisíaco e o carinho é o que há de mais lindo. Ando devagar e falo baixo."



Melhor parte, sem dúvida ;)

TECHWARE BRASIL disse...

Maria, Maria...

E Agora?

Você intima? É um anônimo sem pistas? Mas e se ele não existir? Existe!? Né? Caso surja a negativa, tamanho desejo teu, respostas fluirão do além... Duvida?

Beijos

Roberto Ramos

Jânio Dias disse...

Que belezura!

O desconhecido é o desejo de ser des-coberto.

Beijo!

Luana Gabriela disse...

Lindo!! Amar cansa.. mas também renova as energias né?


Bjão!

Mário Sioli disse...

Ficou muito bom seu texto, como sempre!
Beijos e um bom dia pra ti.

.: Juliana :. disse...

Ah, lindo :)

E como passou de Páscoa? Saudades de vir aqui :)

Beijo grande.

# Izabela disse...

Esse desconhecido, irradiará felicidade assim que encontrá-lo.

Um beijo, querida!

Paulo disse...

Olá,

Renovação outonal, simplicidade, carícias do olhar, poesia, viver, ah!... flores, maestria.... Esse amor imenso é do seu tamanho... Desconhecida.


Um lindo luar para você!

Qualquer Um disse...

Cara Maria que Não foi com as Outras,

Falta-me a capacidade de fugir do lugar-comum ao comentar um texto incomum. Que texto! Que capacidade de falar em primeira pessoa sem falar para si mesma.
Desisto de achar algo "original" para dizer. O fato é que seu texto me falou. Melhor, você falou. Sao tantos os que vemos e nunca nos falam (ou nunca escutamos)de fato, de si. Seu texto queria dizer e disse.
um ab
Edu

Andréa Cavalieri disse...

Maria Maria...
Uma dor,
Uma certa magia,
Uma força que nos alerta,
quem traz no corpo essa marca, Maria Maria...possui a estranha mania de ter fé na vida !!!

Jamais deixarei suas palavras a sós...
beijo
Andréa.

€ster disse...

Sei que acharão que é rasgação de seda, não me importo..

Mas, dificilmente lerei um texto auto descritivo que me agrade tanto!

Temos tanto em comum, o nosso lado Maria se parece muito, suas palavras se encaixaram como aqueles tabuleireiros de crianças
que encaixam letras nos espaços vazios..

não tem jeito de não me emocionar, vindo aqui,

um beijo,

Nanda disse...

o que importa o desconhecido se aqui se descobre um pouquinho mais de maria?
meu combustível é o amor, assim como sua fome de viver, sinto demais e não abro mão disso. atenciosamente, a nanda.

fernando disse...

Um dos melhores textos de sua autoria que já li neste espaço.
Gostei da diferenciação entre gostar muito e amar.

Desnuda disse...

Realmente Maria.....Um dos melhores textos...Se bem que falamos assim pela forte emoção do momento porque todos..Todos os teus textos são lindos, perfeitos, porque tem o gosto, o claro e o escuro de cada um que o lê. Isto me fez lembrar uma frase de um autor desconhecido: " Não sei se dentro de você existe um pouco de mim, mas dentro de mim existe muito de você.".

Voce é linda, querida! Beijos

Ena Thais disse...

Eldiinha..minha liinda...
escreves taum bem...adoreii esse texto aq..perfeitooo!!!
Lindo que nem vc...
amuh!!!
xerOoOo