25 de março de 2009

O belo e o bom

Por Lya Luft

Se não podemos mudar o mundo, interminável trabalho de formiguinha, resta nos abrir para o que existe e sempre existirá de positivo: os verdadeiros amores, que não se baseiam em vantagens, mas em ternura e respeito; as verdadeiras amizades, que não se contam pelos dias convividos, mas pela certeza de que o outro está sempre ali; as verdadeiras famílias, em que apesar das diferenças imperam a confiança e a alegria. A tragédia da humanidade está no cotidiano minúsculo de cada um de nós, que corremos na superfície da verdadeira vida, obcecados por deveres insensatos, corroídos de inveja e desejo de aniquilação, distantes das coisas essenciais - pobres de afeto, despidos de alegria. Talvez seja uma saída. Não podemos mudar o mundo, mas podemos mudar nossa postura no mundo, o público e o privado. Em lugar de nos amargurarmos pela loucura, podridão e injustiça, podemos abrir mais espaço, ou algum espaço, para o bom e o belo, que afinal existem. Tentar curtir a natureza, saborear a arte, atender os necessitados, preparar crianças e jovens para a vida, cultivar harmonia na família, olhar para dentro de nós mesmos e nos escutar. É um bom começo. Olhar o mar ou o amanhecer, que são de graça e nos dão a sensação de que afinal nossas misérias são apenas misérias e que o grande drama é ter a alma mutilada pela amargura.

17 comentários:

Susanna disse...

Maria, Maria...

Tirei Lya hoje da estante, e vim com ela pelo caminho. De repente encontro com você, também acompanhada dela...

Sei não, mas esse outono promete! rs

Meu beijo!

Clarissa Santos. disse...

Lya Luft *_______*
Minha escritora favorita (L

Lindo, lindo!
Bom saber que gostas :}
Segunda escritora em comum, por sinal, sou muito fã de Florbela também! :D

Beijos!

:*

Mário Sioli disse...

Lya Luft é muito boa quando ela acerta a mão, não é minha escritora preferida, porém são raros que escreve de forma tão direta e sensível como ela.

Essa parte resume bem o texto que você destacou: "o grande drama é ter a alma mutilada pela amargura."

Um bom dia pra ti
Beijos

Desnuda disse...

Eu adoro Lya Luft, Maria! E você sabe como ninguem escolher textos. E este é maravilhoso, verdadeiro e uma excelente leitura para reflexão. Obrigada!



Um beijo carinhoso

.: Juliana :. disse...

Que lindo texto. Com certeza temos que olhar o belo lado da vida, que são muitos, apesar de algumas tristezas, guerras, fome... em que algumas pessoas vivem.
Temos que valorizar tudo aquilo que nos faz bem, nos rodeia. A família, os amigos verdadeiros, o amor, o trabalho.

Uma mágica tarde para VC.

.doce beijo

fernando disse...

Legal! chega de encarnar o looser, tá na hora de fazer algo, reclamar é muito fácil, quero ver agir, eis um desafio que tento encara todos os dias.

Tainá Facó disse...

Lya Luft é incrível... me vejo em cada linha de frase dela. Lindo esse texto e lindo o seu blog!

Meu beijo, bonita!

Erica Maria disse...

Lindo mesmo.
Acho que a mudança parte de nós e um simples gesto no dia a dia pode fazer muita diferença sim!

Bjoooo!

guilhermina, (ataulfo) e convidados disse...

alguma coisa no texto me lembrou aquela história da diferença entre jogar tênis ou jogar frescobol: ambos dependentes de duas raquetes e uma bolinha, no primeiro o objetivo é cravar a bola no campo do adversário e fazer o ponto, enquanto no segundo, o que interessa é manter a bola em jogo lá e cá. Quando cai, todo mundo perde e ambos correm para pegar a bola e devolvê-la à brincadeira. Não será assim o verdadeiro amor?
Bj
Guilhermina

Désir La Vie disse...

Maria, Maria

Simples, óbvio e direto...Realmente belo & bom, mesmo eu não sendo muito fã de Lya Luft.



Beijos doce para você.

.: Juliana :. disse...

Dói mesmo só de ler ou ouvir alguns erros tão simples.

Eu quando ouço, fico com vontade de corrigir, não na frente de outras pessoas, porém existem pessoas que se ofendem, então, melhor ficar quieta.

Agora o pior é quando acontece em algum evento, todos tem tempo para planejar e corrigir, mas mesmo assim, deixam passar...

Um dia especial.

Beijo grande.

O Profeta disse...

A palavra é semente
Que floresce na luz de cada alma e enternece
Às vezes é doce veneno
Às vezes taça de cidra que o peito aquece

Ser Poeta é tanto, tão pouco
É transformar em crentes os ateus
É domar todas as tempestades da alma
É estar mais perto de Deus


Bom fim de semana


Mágico beijo

lyani disse...

Lya Luft, muito bom! Lindo texto, doloroso, triste, mas lindo.
Bjos,
Ly

€ster disse...

Ah, Lya Luft,

sempre pontual nas suas ponderações, muito bom!


Mari, depois dá uma olhada na caricatura que o Eduardo do Varal de Idéias fez de mim, divertidíssimo!!!! rs


bjs e tenha um excelente fim de semana!

Camila Colossi disse...

amooo ly *-*
naum haviaa lido esse aindaa,
ameeei ameei seu blog

bejoos

TECHWARE BRASIL disse...

Maria,

Você deixa sempre claro, na melhor das sutilezas, e, agora, usando Lya Luft, singelas e doces palavras formam verdadeiras fontes que denuncia o combustível que a move.

Beijos sempre doces.

Roberto Ramos

Sabrina Davanzo disse...

Que grande verdade.. pena ainda estarmos longe de aceitá-la plenamente.

Um beijo!