11 de março de 2009

Fala, coração

É melhor ir devagar. Ela disse.

Em seu coração o desejo de ser desobedecida: não sejas devagar, seja imediato. Entra sem pedir licença, queima tudo que ainda dói com a simples luz de tua entrada, não faz perguntas, não tenha cautela. Abre teu espaço e ocupa o que quiser. Ocupa-me. Não me dá opções, não me deixe ser prudente. Não me deixe ponderar, nem discursar sobre o que aprendi. Não aprendi ainda, ensina-me. Rápido, não me permita pesar. Há uma urgência de você.

Mas o coração dela não falava.

9 comentários:

Roberta Fauth disse...

Me identifico profundamente com o que vc escreve! Me comove! Adoro! Parabéns!

Maria Fernanda disse...

É tão ruim quando se age por impulso como é ruim deixar as coisas irem de leve. Afinal, existe regra para dar certo?

.moony. disse...

nhaaaai *-*
muito lindo ^^
bjo
teh +
o/*

Erica Maria disse...

Ounnnnnnnnn, que blog lindoooooooo!

Amei!

Estou te likando lá no meu blog e estou a te seguir também!

Bjoooooooooo, voltarei sempre!

Parabéns, vc escreve mt bem!

Désir La Vie disse...

Acredito que exista alguma coisa por trás desse coração mudo. Porque haveria de calar-se?

Bjos doces

Sidney Andrade disse...

Se no silêncio já ser fala por diversas palavras, que dirá no tum-tum duma bomba tão devastadora?

Explode, Maria...

Beijo.

fernando disse...

Não sei até que ponto, a urgência por alguém pode ser boa, pois creio que para se doar para outrém, primeiro é preciso saber ser de si mesmo.
Isso para não transportar as idealizações sobre si, para o outro.

Desnuda disse...

Lindo, querida....É assim que o coração fala. A alma flutua e a mente se extasia.

Um beijo

breno disse...

Isso!Entra em mim!Sem compaixão, e fecha os meus olhos com seus lábios molhados!