9 de fevereiro de 2009

Sua visita

"Eu quase nada sei, mas desconfio de muita coisa" - Guimarães Rosa

Sinto quase vontade de dizer tudo. Sempre escrevi para me manter viva, para não deixar-me acumular, acumular e terminar por incontáveis letrinhas no chão que explodiram por não mais caberem em si. Há muito que não quero, e não posso esquecer. E há sempre o que precisa ser revelado. Mas em seu tempo próprio, em ritmo certo. Eu mesma determino este ritmo e, por ser parecido comigo, é devagar e, mais que isso, sem pressa. Devagar por escolha, por preferência. No entanto, escolho algumas palavras para comunicar-me com quem sente comigo, com alguém que na busca por alguma coisa passou por aqui e, tenha encontrado ou não, permitiu-se desvairar sobre o amor, este tema favorito. E concordou ou discordou de minhas palavras, mas me perdoou em ambos os casos. Mas se pudesse contar-te um segredo eu diria bem baixinho que você não está preparado, ainda. É preciso mais tempo, mais cumplicidade, mais paz. Um dia poderei contar que meu maior medo é minha maior força. Contarei que ainda não encontrei o abrigo e, por isso, resguardo-me tanto. Com aquela confiança de quem se entrega, deixarei que sintas que quem está oferecendo cuidado pede proteção. Um dia aqui, enquanto estivermos assentados lendo algum livro, contando as descobertas desta vida inexplicável ou distribuindo carinho gratuito, como em um passe de mágica, segurarei sua mão e estará explícito o sinal. Então ainda baixinho contarei o tudo, que sempre traz mais, e o nada, que vai ser a distração. Enquanto acredito que coincidências não existem, acredite que seus passos, mãos, olhos e coração não te levam nem te trazem por acaso. Há em ti, como em mim, esta procura por aquela palavra desconhecida, aquele sentimento completo, aquela busca que traga um sentido definitivo. Não sei o que encontraste aqui que possa ao menos ter refrescado a parada enquanto segues tua caminhada, mas creia que se não encontrou o que procuras encontrou quem também não cessa sua busca; e se não há em mim as respostas, embora haja todas as perguntas, poderemos trocar palavras e afetos, e continuarmos, juntos ou não, com um pouco de mais esperança e beleza. Então, recebo sua visita com um sorriso de qualquer tamanho e um abraço sempre. Pode ficar perto, deita comigo a observar as estrelas, passeia de mãos dadas pelo jardim, escreve um verso sem rima, toma um banho de chuva e não faz promessas. Agora a gente procura junto.

14 comentários:

Luana Gabriela disse...

aquele sentimento definitivo..

Maria, boa procura!!

=D

Bjos

meus instantes e momentos disse...

muito bom o post. Parabens .
Gosto de voltar ao teu blog. Gosto daqui.
Maurizio

Sonhos Amadores disse...

Eu sempre me vejo escrita nas suas letrinhas que insistem em acumular! E como eu adoro quando elas acumulam... é nesse instante que eu posso me ler!

Um beijo!

Princesa disse...

É bom ter alguém para procurar junto.

Um beijo

fernando disse...

Ás vezes passando por aqui não encontro o que procuro, mas encontro algo mais pra procurar e assi prosigo tão perto e ao mesmo tempo longe de ti, seguimos como os zumbis que nunca têm sua fome saciada, mas experimentam diversos sabores, apreciando alguns e depreciando outros,mas tendo a coragem de ousar.

Désir La Vie disse...

Simples e delicioso.

Senti paz - e muita - ao ler isso


Bjossss

Branca disse...

Muito bom seu post...gostoso de ler!

bjos.

Qualquer Um disse...

Cara

Uma legítima carta é o que este post é. Terno. Tao bom texto que me deixou um pouco triste.
Tristeza porque sempre se quer dizer muito mais do que se consegue.
um ab
Edu

Lêda Maria disse...

E agora Maria? tem meme dos segredos pra vc,espero q aceite!

Lá Cociuffo disse...

Só posso dizer que me identifiquei de ponta a ponta...

E que agorinha mesmo estava nas varanda observando as estrelas, ou nas estrelas observando a varanda. Tanto faz....

Gabi disse...

"Mas se pudesse contar-te um segredo eu diria bem baixinho que você não está preparado, ainda."

chorei sozinha com isso.
seria a perfeita epígrafe de um livro.

Paulo disse...

Lindas palavras, expressam a busca pela cumplicidade/felicidade, gostoso de se ler, grato!

Mário Sioli disse...

Gostei disso:
"Eu quase nada sei, mas desconfio de muita coisa" - Guimarães Rosa

Não fica tanto tempo sem postar, pois é sempre bom ver algo seu aqui.
Bom fds Maria.
Beijos

SAM disse...

Maravilha de texto que nos trouxe, Maria....Emudeci pela reflexão a que me levou esta leitura.E também eu teria muito a dizer sobre...E devagar. Talvez pela certeza que quase nada sei. Procuramos juntas, Maria!

O meu sorriso, o meu abraço e as minhas mãos.