16 de dezembro de 2008

Eu espero

Desde que acordei percebi que estava em outro lugar. Demorei a me mexer, a sentar, a observar. Mantive resoluto silêncio em meio a tantas vozes. Fiquei ainda um pouco tonta, esfreguei os olhos e ainda silenciosamente observei este lugar. Havia uma lembrança como que irreal. Definitivamente essa não era minha vida. Olhava e tentava me situar. Era outra vida. Alguns rostos conhecidos, mas em papéis diferentes; o mesmo lugar, mas sem o mesmo cheiro. Mas eu estava perdida. Senti-me como se acordasse depois de uma amnésia. O que estou fazendo aqui? Onde estão eles? Eles não estavam aqui. Procurei nos quartos, na varanda, atrás das portas, nos banheiros. Depois passei para procura interna. Dentro de mim, em qualquer lugar onde pudessem estar. Eles se perderam ou fui eu? Foi sem querer ou foi escolha? E agora? E agora o que faço sem eles? Como saberei por que eles me deixaram aqui? Não era correspondido? Mas não havia a promessa de não abandonar jamais? O que estava acontecendo? Porque eles não estavam mais aqui comigo? Hoje me dei conta de que as promessas de companhia eterna era nada além do que o próprio eco de minhas palavras e meu desejo. E que a reciprocidade que eu cria, não era concreta. E agora estou eu nesta vida desconhecida, esperando quem sabe um dia acordar e tê-los novamente do meu lado, como quem também estivesse à minha espera.

21 comentários:

Analu Vasconcelos disse...

que lindo eldinha, eu acho que todos nós temos esse mesmo sentimento que vc tem! queremos as pessoas que amamamos eternamente, mas infelizmente não é assim! E como é difícil né!

Qualquer Um disse...

Cara,

As perguntas mais interessantes da vida são as que não há repostas, mas mesmo assim, a busca é divertida.
Texto intrigante
um ab
edu

Alice ainda mora aqui disse...

Maria Maria,
que bom que me descobriu. Pois pude ir na recíproca. Volta sempre para subir ao lustre qtas vezes quiser!
besos

Auíri Au disse...

Quando a gente acha que sabe as respostas para tudo, vem o destino e muda as perguntas..
^^


Beijos

Anônimo disse...

Eles devem estar te esperando e talvez sentindo o mesmo que você.

Belo Texto Maria. Mas não demore tanto a escrever novamente.

Sidney Andrade disse...

Maria, Maria...
Já que quiseste citar Caeiro no meu texto, eu vou citá-lo neste teu, inclusive o mesmo poema: "Porque quem ama nunca sabe o que ama/ nem sabe por que ama, nem sabe o que é amar/ Amar é a eterna inocência/ E a única inocência é não pensar."
Supondo que seja de amor que fale este teu. Mas, de um modo ou de outro, todos os textos falam de amor, inevitavelmente.

Beijo.

silvioafonso disse...

.


O sol lambia as frestas da janela e apressado vazou por elas. Brincou nos meus cabelos, clareou o quarto e me despertou. Acordei de uma noite que parecia eterna, sem fim e nessa madrugada, depois de pensar muito e tentar descobrir em que lugar, sem mim, ela estaria sofrendo por nós dois foi que eu adormeci.
Tenho certeza que a estas horas ela já escreve sobre o vazio que ficou em sua alma, depois que eu vim embora. Vazio que não é propriedade, dela, mas nosso. Vazio que toma todo o espaço e com tamanha sabedoria, faz dos sonhos uma grande história. Transforma uma simples separação, num cortejo fúnebre e tenebroso. Tenho ímpetos de voltar. Adoraria colocar na minha cara o meu melhor sorriso e me vestir como se eu fosse à uma festa só para me ajoelhar aos seus pés e dizer que vinga, ainda, o amor que não morreu.

silvioafonso.


.

Mário Sioli disse...

Olá!!! - ;D
Montei um blog para colocar as poesias que gosto, algumas indicações de amigos e já te adcionei nele:
http://todaspoesias.blogspot.com/
Uma boa semana pra ti
Três Beijos

The Scientist disse...

"as promessas de companhia eterna era nada além do que o próprio eco de minhas palavras e meu desejo"
é, né. existem os outros.
mas façamos o nosso melhor!!!
em vez de "tomara que tudo volte ao normal", acho que, desta vez, vou te dizer "tomara que tudo se ajeite"
o melhor abraço!

Desnuda disse...

Maria,

minha terna Maria....Como me vejo em seus textos. Como tenho orgulho de ser mais uma maria e ter conhecido esta casa virtual....Creia, é verdade! Penso com carinho em você mesmo quando não estou frente ao computador. Fixa-me a memória ( que nunca foi muito boa), mas creia que sempre em certeiras situações, vem-me algo dos seus escritos. Outras nas minhas solitárias reflexões. E sem saber és minha companheira muitas vezes, através destas minhas introspecções.

Na certeza que muitos a esperam e que existe promessas de companhia eterna, sim. E críveis. E mesmo que por vezes duvidamos, ou exigimos demais e assim nos sentimos, me despeço com um grande abraço mulher-mãe.

Jana disse...

Não sei, mas tenho a impressão que, no momento em que aceitarmos como boa a nossa própria companhia, acabará para sempre a solidão.

Beijinho
:)

Esther disse...

Querido amiga Maria!

Quero lhe desejar um Natal Diferente, não como os outros,
mas que neste o significado verdadeiro esteja no seu coração,
nas suas ações, nas suas amizades e refletida na sua caminhada.

Que 2009 seja um sopro de coisas boas em sua vida! E tenho
certeza que será! Que venha a realização dos sonhos desejados
e batalhados. Este é o meus mais sinceros votos não só para
você, mas também para toda a sua família.

Já disse, mas é sempre bom repetir, conhecê-la aqui nesse mundo virtual foi um dos melhores presentes que recebi este ano. Aprendo com a sua generosidade, sensibilidade e evidente meiguice.

Carinho meu,

SAM disse...

Terna Maria,

Meus votos de um feliz e abençõado natal para você e todos os seus familiares.


Grande beijo, amiga!

Alice ainda mora aqui disse...

Fique à vontade Maria!!!!!!!!!
besos

Desnuda disse...

Maria...Obrigada pelo carinho...Obrigada.

Meus sinceros votos de um feliz e renovador natal para você e seus familiares e que todas as suas esperanças se concretizem em 2009, .............!


Beijooooooooooooooooohohohohoho!

Samelly Xavier disse...

Moça, fiz um novo blog e coloquei seu blog entre os meus favoritos.

Depois visita lá?

Beijo recitado

Gabi disse...

Eu não entro mais nas roupas que eu cabia...
eu não encho mais a casa de alegria...
OS ANOS SE PASSARAM ENQUANTO EU DORMIA...

´-Será que eu falei o que ngm ouvia, será que eu escutei o que niguem me dizia?-

Qualquer Um disse...

Cara Maria

Meu comentário é para comentar o seu comentário (confuso?:->) no meu blog.
Elogio é bom, mas o texto no blog da Ester nao é meu , é da Cecilia Meireles. Eu apenas enviei p/ a Ester.
Se eu escrevesse daquele jeito nao seria Qualquer Um, seria Cecilia:-)
Aproveito para desejar apora vc bons presentes desembrulhados que nao gastam.
Um ab
Edu

Esther disse...

Oi querida!

É verdade, ele se supera sempre!

Aprecio muito suas visitas ao meu blog! Sempre muito bem vinda!


bjs!

Desnuda disse...

Maria...Ah, Maria!!!! Como você sabe tocar a nossa alma. Suas palavras atravessam corações. Querida...Isso é raro, creia. Tenho 52 anos, um pouco de experiência muito mais percceptiva do que propriamente vivenciada. Como a admiro...Como gosto de você, Maria...Como lhe sou grata pelo tanto que me enriquece com suas palavras que subtraio lapidando a minha sensibilidade, o meu espírito...E ainda assim tão humilde me agradece, quando eu que sinceramente lhe agradeço, sempre em dívida pelo que me proporcionas.... E desde a primeira vez que Deus me deu a oportunidade deste rico presente que foi ler e senti-la tão próxima e querida.

Emocionou-me seu comentário...Obrigada por tudo. E lhe desejo todo o bem deste mundo!



Um carinhoso beijo de sua admiradora.

Désir La Vie disse...

Surpreendentemente viu-se sozinha, mesmo não desejando estar.
Muitas vezes parece que ninguém nos compreende ou nos completa!
Entendo perfeitamente.

Bjos, linda