3 de outubro de 2008

Com licença

“Penso agora que terei de pedir licença para morrer um pouco. Com licença - sim? Não demoro. Obrigada.”

C.L.

9 comentários:

SAM disse...

Seja rápida, Maria, porque a morte é sonho de uns dias. Ou será a vida a morte esquecida todos os dias?

grande beijo

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Maria, que blog bacana e poético!
Beijocas

Maria Dias disse...

Uma gracinha teu blog e pensamentos...
Maria...Obrigada por ter passado no Avesso e gostado do q viu...Tb gostei do seu.

Não morra...Não esmoreça apenas adormeça e volte pra nós!

AugustoMaio disse...

Grande dito. Mas que seja breve.

Anonymous disse...

Quando voltar, toque-me. Estarei longe, mas a seu lado. Sempre.


*ESJ*

Sidney Andrade disse...

é mesmo como diz Milton: toda "Maria é um dom, uma certa magia..."
Também deixei-me ficar pelo teu blog, e, de agora em diante, sempre que aromas novos se exalarem por aqui, voltarei.
Obrigado pela visita ao meu.
Beijo.

breno disse...

já...tão cedo vais e tão cedo voltarás, tenho essa certeza dentro de mim...
volte a mim, somente a mim...sou teu e tu és minha.

Anonymous disse...

Quando o sol de cada dia entrar
Chamando por você
Querendo te acordar
Vai ter sempre alguém(EU) pra receber
Fazer o seu jantar
Durmir no seu sofá
Alguém(EU) pra olhar a casa
E alguém(EU) que regue o seu jardim
Até você voltar
E como é normal acontecer
Se num entardecer
A dor te visitar
Vai ter sempre alguém(EU) pra socorrer
Fazer o seu jantar
Dormir no seu sofá
Enquanto a noite passa por mim
Eu rego o seu jardim
Você já vai voltar...


*ESJ*

Gabi disse...

morra e volte para cá.
te add.
bjos