27 de julho de 2008

O amor

(...) o Novo Testamento foi originalmente escrito em grego, e os gregos usavam várias palavras diferentes para descrever o multifacetado fenômeno do amor. (...) os gregos usavam o substantivo agapé e o verbo correspondente agapaó para descrever um amor incondicional, baseado no comportamento com os outros, sem exigir nada em troca. É o amor da escolha deliberada. Quando Jesus fala de amor no Novo Testamento, usa a palavra agapé, um amor traduzido pelo comportamento e pela escolha, não o sentimento do amor.



__ Pensando nisso agora (...) parece bobagem tentar mandar alguém ter um sentimento ou emoção por alguém. Nesse sentido, aparentemente Jesus Cristo não queria dizer que nós devemos fazer de conta que as pessoas ruins não são ruins, ou nos sentir bem a respeito de pessoas que agem indignamente. O que ele queria dizer era que devemos nos comportar bem em relação a elas. Eu nunca tinha pensado nisso dessa maneira.



__ (...) Claro! Os sentimentos de amor talvez possam ser a linguagem do amor ou a expressão do amor, mas esses sentimentos não são o que o amor é. (...) "O AMOR É O QUE O AMOR FAZ".



__ (...) eu percebo claramente que há ocasiões em que minha mulher não gosta muito de mim. Mas ela permanece ao meu lado, de qualquer modo. Ela pode não gostar de mim, mas continua a me amar e manifesta isso por suas ações e envolvimentos.



Nem sempre posso controlar o que sinto a respeito de outra pessoa, mas posso me controlar como me comporto em relação a outras pessoas. (O Monge e o Executivo - James C.Hunter)

~

Tenho uma idéia muito particular e diferente do que seja amor – e sempre menciono isso. Não que despreze o conceito que cada um tem, e tudo em que acreditam. E talvez nem tenha tanta autoridade para escrever ou opinar sobre o que há de mais profundo nesta vida - o amor. Mas sempre entendi que amar tinha um sentido mais elevado do que o que as pessoas costumavam resumir em “borboletas no estômago” que vi tantas vezes, em segundos, transformarem-se em ofensas, desrespeitos e ódio. Para mim, não teria sentido algum viver, se isso fosse amor.

"Não há nada que possa alcançar o amor, a não ser o próprio amor, pelo amor. Não há nada que ele possa atingir, a não ser a si mesmo". (Brasigois Felício)

Uma frase simples que explicou o que eu sempre acreditei ser amor: O AMOR É O QUE O AMOR FAZ. E ponto.

2 comentários:

The Scientist disse...

olá! esta é a primeira vez que venho por aqui (agora já devidamente apresentados...rsrsrsr)
e que alegria me deu ao te ler...
adorei. também acredito muito no amor apresentado pelo comportamento, por aquilo que a gente faz... só que às vezes me parece difícil conciliar tanto sentimento com a razão(rsrs...)
forte abraço!

Thalita disse...

O amor não pode ser definido em palavras. Quando se diz que ama alguém é pq já se mostrou atitudes suficientes para demonstrar que se ama.
E por isso tbm acredito no que vc diz. "O amor é o que o amor faz." Sem dúvida nenhuma!!!!
Agora nunca tinha parado pra pensar em relação ao que Jesus quis dzer sobre o amor. Adorei a leitura que tu colocou aqui no blog.

Querendo sempre manter a deliciosa leitura voltarei aqui....
Bjo grande!!!!